"Ensina-me a fazer a tua vontade, pois és o meu Deus. O teu Espírito é bom; guie-me por terra plana."
Salmos 143:10 

É maravilhoso quando alguém demonstra interesse em ser um missionário, esta é, certamente, uma decisão muito importante, mas ser um missionário não é bem uma questão de querer, é uma questão de chamado, é como Paulo diz em I Timóteo 3:01: "Esta é uma palavra fiel: se alguém deseja o episcopado, excelente obra deseja, convém pois...", ou seja, é preciso preencher certos "requisitos" para ocupar esta vaga, e há vagas! É preciso primeiramente entender o que é ser um missionário, e no contexto cristão podemos afirmar: missionário é aquele que é chamado para anunciar o evangelho.

O conhecido “ide” descrito em Mateus 28:19 e 20, é por assim dizer uma convocação missionária para toda a igreja, uma convocação geral e abrangente, geral pois é para toda a Igreja, em todas as épocas e em todos os lugares, e abrangente pois, como veremos, nem todos foram chamados para a mesma atividade, mas todos fazem parte desta grande comissão. A incompreensão desta verdade fez, e faz ainda hoje, com que muitos deixem de experimentar o privilégio que é anunciar, ensinar e edificar o Reino de Deus na terra.

Em Efésios 4:11, o apóstolo Paulo escreve: “E ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e doutores..." notamos com isso que Deus tem preparado uma logística para o aperfeiçoamento do Corpo de Cristo, uma logística na qual todos contribuem conforme seus talentos, para a propagação do evangelho, e consequentemente, do Reino.

O intuito deste artigo não é oferecer a resposta para uma pergunta direta, mas oferecer uma linha de raciocínio para que você possa chegar a uma decisão racional (Romanos 12:01) e assim ter plena certeza de sua posição no Reino, compreender isso lhe proporcionará o prazer de cumprir seu chamado, por assim dizer, alcançar o aperfeiçoamento e plenitude de ter uma vida no centro da vontade de Deus.

Antes de tudo, é preciso entender que anunciar o evangelho não é uma questão de comprovar a supremacia da fé cristão sobre as outras religiões, ou de convencer as pessoas, anunciar o evangelho é, em especial para aqueles que desejam deixar o conforto de suas casas, amigos e familiares, um questão de amor aos perdidos.

Avalie como está a sua comunhão com a igreja local, com sua liderança, com seu pastor. Seu chamado possivelmente será confirmado pelo testemunho que você obtém da igreja local, e seu envolvimento com a igreja local lhe capacitará, em diversas esferas, para exercer seu chamado no futuro. O convívio e comunhão com a igreja local lhe moldará, edificará, exercitará, capacitará para que esteja apto para toda boa obra.

Envolva-se com as atividades missionárias de sua igreja, isso lhe proporcionará certa experiência e com o tempo o SENHOR lhe confirmará o chamado enquanto você serve, isso mesmo, Deus sempre chama quem está trabalhandomas tenha a certeza de não estar confundindo compaixão com pena, ativismo com ação, ser um missionário é mais do que anunciar uma fé, fazer missões vai além do realizar um evento ou ação social, estas coisas podem fazer parte de missões, mas não fazem um missionário.

Invista em seu tempo de oração, jejum. A oração lhe proporcionará intimidade e sensibilidade para reconhecer a voz do SENHOR e isso é vital para um ministério próspero (em almas e não em dinheiro). Alguém já disse “o jejum é a oração do corpo”, esta frase expressa muito bem o que significa este tempo de consagração ao SENHOR, um tempo onde reduzimos a carne para que o espírito seja fortalecido, tanto a oração quanto o jejum não podem ser encarados como uma atividade religiosa, obrigatória ou rígida, mas como tempo oportuno de buscar a Deus e Sua vontade.

Invista seu tempo em conhecer a Palavra. Em Oséias 6:03 o profeta escreve: “Então conheçamos, e prossigamos em conhecer ao SENHOR; a sua saída, como a alva, é certa; e ele a nós virá como a chuva, como chuva serôdia que rega a terra”, como poderemos anunciar o que não conhecemos? Muitas inverdades foram e estão sendo propagadas como sendo verdades por pessoas que não conhecem o evangelho, o mesmo profeta escreve: “...o meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento...” (Oséias 4:06).

Alimente-se com boas pregações, em João 14:26 estão registradas estas palavras de Jesus: "o Espírito Santo vos fará lembrar de tudo quanto vos tenho dito...", mas como Ele poderá te fazer lembrar de algo que você nunca ouviu? Portanto medite nas Escrituras e exercite-se em aplicá-las em sua vida para que seu crescimento em Deus, sua maturidade seja manifesta a todos (I Timóteo 4:15) para a glória Dele.

Anunciar o evangelho, ser um missionário, vai além de uma vontade, é um chamado específico, não é um chamado maior ou menor, mas parte de um Corpo, e assim como para os chamados a profetas, pastores, doutores, mestres, a resposta positiva a este chamado conta com a capacitação do Espírito, e portanto, todas as forças necessárias para a plena realização de sua carreira (II Timóteo 4:07). 

Não deixe de falar com seu pastor, com sua liderança, compartilhe com eles seu desejo, sua disposição de servir em missões, procure andar com outros crentes maduros que possam te influenciar positivamente na comunhão com Deus e no crescimento espiritual, procure também manter-se informado sobre as atividades missionárias em sua igreja, sua comunidade e no mundo, há muitos sites e portais pelos quais você pode se manter informado sobre as atividades missionárias no Brasil e no exterior.

Esperamos com este artigo, como afirmamos antes, não apresentar uma resposta pronta para a pergunta quanto a ser ou não um missionário, desejamos que você busque no SENHOR e com a igreja local o seu lugar no Reino, a posição que certamente lhe garantirá bons frutos para Deus

Fogo para Missões
Caso você tenha alguma questão sobre o assunto deste artigo, entre em contato conosco pelo e-mail contato@fogoparamissoes.com com seu nome e o máximo que puder de informações.

"Portanto nós também, pois que estamos rodeados de uma tão grande nuvem de testemunhas, deixemos todo o embaraço, e o pecado que tão de perto nos rodeia, e corramos com paciência a carreira que nos está proposta..."
Hebreus 12:01


Esta é uma canção que, quando toco, mesmo em casa ou entre amigos, não consigo chegar final sem chorar, principalmente na parte onde diz: "Seguindo sua ordem, lutaram na frente para o Rei...", é inevitável pensar nos campos missionários. Misericórdia SENHOR.

Abaixo está a letra da música gravada nos anos 90 pelo cantor evangélico Junior, muito bem ilustrado neste vídeo por jeffersong2007 com imagens dos filmes "O Resgate do Soldado Ryan" e "A Conquista da Honra".

SOLDADO FERIDO

Há muitos feridos
Choram de angustia e de dor
Clamam por proteção e por paz
Amigos que sofrem
Sua necessidade atende hoje
Não deixe um soldado ferido morrer

Verta o balsamo

E a ferida sarara
Protege-o com o teu manto de amor
O pao partiremos sim
Descanso lhes dara
E toda angustia sairá
Não deixe fiéis soldados feridos morrer

Seguindo sua ordem

Lutaram na frente para o Rei
E um forte inimigo puderam vencer
Mas por esse esforço
Satan tentou sua vidas matar
Não deixe um soldado ferido morrer

Verta o balsamo

E a ferida sarara
Protege-o com o teu manto de amor
O pao partiremos sim
Descanso lhes dara
E toda angustia sairá
Não deixe fiéis soldados feridos morrer

Não podes olhar sem socorrer

O amor é mais forte, faz viver
Não podes deixar um soldado ferido morrer

"Não basta amar se não colocar em prática o amor que sentimos, precisamos começar, entrar em ação, pois começar, é a metade de qualque ação."
Junior, à alguns anos, durante apresentação em MG

Fogo para Missões


"Porque vós mesmos sabeis muito bem que o dia do Senhor virá como o ladrão de noite; Pois que, quando disserem: Há paz e segurança, então lhes sobre-virá repentina destruição, como as dores de parto àquela que está grávida, e de modo nenhum escaparão."
I Tessalonicenses 5:02 e 03

Você daria seu voto a favor se em um determinado bairro da sua cidade os moradores aplicassem regras de proibição de bebidas alcoólicas, drogas, jogos proibidos, pornografia e prostituição? Você daria seu apoio? Pense bem!

Pois é justamente isso que alguns moradores de Londres muçulmanos estão querendo implantar! Colocam posteres como este ao lado, para informar que aquele lugar está sob a jurisdição da Shariah, ou seja, a regras morais presentes no Corão. Isto está acontecendo apesar das proibições da polícia, afinal, a Inglaterra tem lei!

Você lembra desta palavra: Shariah? Não? Mas certamente lembrará deste nome: Yousef Nadarkhani, o pastor preso e condenado a morte no Iran, apenas por pregar o Evangelho (saiba mais clicando aqui). Isso mesmo, evangelizar também é uma das atividades proibidas nos territórios de ocupação e sob controle da Shariah, e aqueles que acompanham notícias missionária sabe bem como são tratados os "infratores". 

Prostituição é pecado sim! Concordamos com o pecado? Obviamente que não! Apedrejaremos aqueles que vivem esta prática? De forma alguma! Nós cristãos, a exemplo de Jesus, não anunciamos um evangelho de exclusão, mas de inclusão, um evangelho que alcança e não que lança fora. Por trás desta "sociedade melhor" encontramos intolerância e perseguição, incompatíveis com a verdadeira PAZ.

TRADUÇÃO DO CARTAZ

VOCÊ ESTÁ ENTRANDO EM
ÁREA DE CONTROLE DA SHARIAH
LEIS ISLÂMICAS ADOTADAS

SEM ÁLCOOL
SEM JOGOS
SEM MÚSICAS E CONCERTOS
SEM PROSTITUIÇÃO E PORNOGRAFIA
SEM DROGAS E CIGARROS

"SHARIAH" UMA SOCIEDADE MELHOR!

Com esta matéria queremos levar nosso (a) leitor (a) a refletir sobre a importância e necessidade de compromisso com a santidade, como forma de levar o Evangelho da Salvação para a vida daqueles que, ao nosso redor, vivem escravos em seus pecados.

Desejamos uma sociedade melhor, mas acreditar que tal sociedade será fruto da imposição de regras é incompatível com o Evangelho da Graça que pregamos, da mesma forma que sabemos, toda a criação anseia pela manifestação dos filhos de Deus, portanto amado (a) leitor (a)... seja santo, manifeste a Glória do Pai em sua vida, este é seu chamado.

Fonte para publicação desta matéria: Missões e Adoração.
Fogo para Missões


"E Deus pelas mãos de Paulo fazia maravilhas extraordinárias. De sorte que até os lenços e aventais se levavam do seu corpo aos enfermos, e as enfermidades fugiam deles, e os espíritos malignos saíam. E alguns dos exorcistas judeus ambulantes tentavam invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que tinham espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus a quem Paulo prega. E os que faziam isto eram sete filhos de Ceva, judeu, principal dos sacerdotes. Respondendo, porém, o espírito maligno, disse: Conheço a Jesus, e bem sei quem é Paulo; mas vós quem sois? E, saltando neles o homem que tinha o espírito maligno, e assenhoreando-se de todos, pôde mais do que eles; de tal maneira que, nus e feridos, fugiram daquela casa."
Atos 19:11 a 16

Tá amarrado! Tá? Mas você sabe por quê? Porque não está acorrentado ou enjaulado?! Calma, não se escandalize, não estamos nos rebelando, é apenas uma pergunta, uma pergunta importante, e você vai entender o porque. Alás, o texto acima, de Atos 19 é parte importante disso tudo.

Encontramos sete homens judeus, filhos de um dos principais dos sacerdotes, homens acostumados com os rituais e todo tipo de costumes religiosos da época, homens que experimentavam de certa autoridade entre o povo, assim como os filhos de Eli, Hofni e Finéias, lembram deles? (I Samuel 1). Com isso, a primeira lição que aprendemos é esta: por mais que você esteja acostumado com os rituais de sua religião, não considere isso como credencial de autoridade, ou ainda, não confunda respeito social com autoridade espiritual.

"Pois ninguém pode entrar na casa do valente e roubar-lhe os bens, se primeiro não amarrar o valente; e então lhe saqueará a casa."
Marcos 3:27

Acredito que seja deste texto que tenha surgido esta famosa frase evangélica, mas como toda a Palavra, o texto tem um contexto e como dizem, texto sem contexto é pretexto.

Sinceramente, particularmente não vejo problema algum em alguém dizer "Tá amarrado!" desde que, ao menos, o cidadão saiba o que está fazendo, caso contrário estará agindo como estes sete rapazes, que desconhecendo a autoridade real de Jesus, se fixaram em uma palavra, experimentando um resultado desagradável, a segunda lição que aprendemos aqui é esta: não substitua a comunhão com Deus por um ritual sem contexto, ou ainda, seja  santo na terra, conhecido no céu e temido no inferno.

Com isso respondemos a pergunta feita lá em cima, lembra? E a triste resposta é esta, o fato de que muitos irmãos diariamente preferem substituir uma vida com Deus pela repetição de palavras que, muitas vezes nem mesmo sabem de onde surgiram, mas aprenderam ser palavras poderosas. Poderoso é Deus, Todo-Poderoso e nome sobre todo nome.

Qualquer palavra, fora do contexto de uma vida santificada, não possui autoridade alguma, isso mesmo, palavra alguma poderá substituir uma vida em comunhão com Deus. Não aceite abrir mão de uma vida de oração, não troque suas experiências pessoais com Deus por uma palavra, você é único, exclusivo, e assim como Paulo, deve ser conhecido e temido no inferno, amarre o valente, mas não com palavras, com sua vida.

As Escrituras dizem que o demônio se assenhorou da situação, e dominou os homens de tal modo que todos eles tiveram que fugir da casa, feridos e nus, machucados e expostos em suas vergonhas. Experimente uma vida de santidade, seja o que o SENHOR te projetou para ser: geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamar as grandezas daquele que te chamou das trevas para a maravilhosa luz, seja e o fazer, o amarrar será consequência natural.

Terceira e última lição que aprendemos aqui: quando não nos submetemos ao senhorio de Jesus, qualquer um pode assumir o trono em nossas vidas, ou ainda, quando entregamos a Jesus Cristo o reinado em nossas vidas ninguém tem autoridade para dominar sobre nós. Portanto amado (a), não se preocupe, se estamos em Cristo, santificados e justificados Nele, poderemos ousadamente dizer: se Deus é por nós, cai pra dentro (Romanos 8:31).

Invista em seu relacionamento com Deus, ore, jejue, medite em Sua palavra, cultive os frutos do Espírito (Gálatas 5), tome a armadura do Espírito (Efésios 6), santifique-se, pois para os que assim vivem, o valente pode até rugir como leão, mas não pode tocar (I Coríntios 10:13). Aleluias! 

Fogo para Missões

“...e por isso nem ainda me julguei digno de ir ter contigo; dize, porém, uma palavra, e o meu criado sarará. Porque também eu sou homem sujeito à autoridade, e tenho soldados sob o meu poder, e digo a este: Vai, e ele vai; e a outro: Vem, e ele vem; e ao meu servo: Faze isto, e ele o faz. E, ouvindo isto Jesus, maravilhou-se dele, e voltando-se, disse à multidão que o seguia: Digo-vos que nem ainda em Israel tenho achado tanta fé...”
Lucas 7:1 a 10

Através do twitter temos entrado em contato com vários outros ministérios missionários, e alguns deles temos encontrado uma visão muito semelhante a que o SENHOR tem nos entregue: baseado não em misticismos e manias, mas em oração, jejum e palavra. Por isso hoje publicamos este texto, do Rafael Cachoeira, pois fomos ministrados por ele e gostaríamos de multiplicar esta palavra, fruto de um propósito de jejum por Moçambique.

Conheça o Casa da Rhema, siga o @rafastumm, ore e jejue conosco por Moçambique e por missões.

Nós queremos fazer tanto para o Senhor. Oramos como se fossemos entregar tudo o que temos por causa do evangelho. Levantamos as mãos como se estivessemos rendidos ao Senhor e a sua vontade, mas poucos minutos depois somos capazes de voltar atrás em tudo, e através das nossas atitudes negamos nossos votos e orações.
Que tal então começarmos pedindo ao Senhor FÉ?!

Jesus já tinha caminhado um bocado, quando se depara com uma situação e logo Ele diz: “nem ainda em Israel tenho achado tal fé”.

Sem fé é impossível agradar a Deus e aqueles que o buscam precisam fazer isto com fé, crendo que Ele existe. Por isso, Jesus fez questão de destacar esta característica em tal homem, Porque aquele homem acima de palavras bonitas, lindas canções e votos sensacionais, rendeu ao Senhor fé. Ele fez de Jesus sua autoridade, seu governo e reconheceu que com apenas uma palavra Jesus poderia fazer qualquer coisa.

Há se tívessemos uma geração que dá a Jesus o governo e que permite a Ele liberar suas palavras de cura e de salvação sobre as nações. Já teríamos feito muito mais por Ele do que todas as palavras que demos a Ele juntos.

Mas a fé é fruto de quebrantamento, de intimidade, de provações e vem pelo ouvir e ouvir a palavra de Deus. É preciso perseverança, é preciso que a perseverança termine sua obra.  Nós somos tão imediatos que não temos permitido ao Senhor terminar o processo que permitimos a Ele começar. Paramos nos primeiros passos em busca de facilidades, em busca de um caminho mais rápido. Muitos pensam: “Se isto não aconteceu ainda é porque não era a vontade de Deus, me enganei.” Imaginemos o que Abraão pensaria desta lógica que temos aplicado. Em Romanos diz que Ele mesmo estando sem vigor cria, e se posicionava a favor da promessa e a medida que glorificava ao Senhor ia sendo fortalecido. Não há como ser fortalecido em meio as murmurações e meninisses da nossa alma, é preciso matar nossa alma e adorá-lo. Como Paulo e Silas a meia-noite, ou adorá-lo como Ana esposa de Elcana entregando a verdadeira canção que está dentro de nós. Mas entregando a Ele o tudo. Isto é adorá-lo.  É entregar nossa confiança, nossa vida. Não podemos impressioná-lo, mas podemos saciar o desejo que Ele tem de nos TER COMPLETAMENTE PARA ELE.

Libere sobre as nações uma palavra de fé.

Enquanto orava por Moçambique, pelos propósitos, pedi ao Senhor uma palavra sobre esta intercessão e Ele nos deu este exeplo. O centurião de Cafarnaum, que segundo Jesus, até aquele momento, não se tinha achado fé semelhante em Israel.

Pedimos Senhor, libere tuas palavras de cura e salvação sobre Moçambique e sobre as nações, e elas serão alcançadas, pois tu tens o GOVERNO.

Texto de Rafael Cachoeira no blog Casa da Rhema
“...unidade na terra para mover os céus...” Mateus 18:18

Rafael é casado com Ana Paula Cachoeira e tem ministrado no Brasil por vários estados e também em Moçambique, no sul do continente Africano. Suas ministrações se baseiam em intimidade com Deus, adoração e a desmistificação do chamado que Deus dá a cada um de nós.
Saiba mais no site www.casadarhema.com.br.

"E, pondo-se a caminho, correu para ele um homem, o qual se ajoelhou diante dele, e lhe perguntou: Bom Mestre, que farei para herdar a vida eterna? E Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom senão um, que é Deus. Tu sabes os mandamentos: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não dirás falso testemunho; não defraudarás alguém; honra a teu pai e a tua mãe. Ele, porém, respondendo, lhe disse: Mestre, tudo isso guardei desde a minha mocidade. E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me. Mas ele, pesaroso desta palavra, retirou-se triste; porque possuía muitas propriedades."
Marcos 10:17 a 22

Deus não quer seu tempo, não quer sua força, Deus não quer seu dinheiro ou nem mesmo sua vida, Deus quer você, seu intelecto, seu bom humor, sim, Ele quer seu coração. Outro dia no twitter alguém escreveu algo como: "quando Deus pediu a vida de Isaque à Abraão, Ele queria na verdade outra coisa... Ele queria Abraão" (Gênesis 22).

Não podemos oferecer nosso tempo para o SENHOR do tempo, ainda mais porque não sabemos quanto tempo nos resta ainda, não podemos também ofertar nossa força se não temos força sem Ele, que estupidez será então oferecermos nosso dinheiro ao Rei da glória, e nem mesmo nossas vidas para nada Lhe servirão,  se Lhe negarmos a nós mesmos. Deus quer você, com suas limitações para que a força Dele seja aperfeiçoada em sua vida, Ele quer seu humor, seu jeito típico de falar, de orar, Ele quer ouvir sua voz e tem prazer nisso (II Coríntios 12:09).

Deus não necessita de absolutamente nada, nada que qualquer ser no universo venha a possuir, mas ainda assim Ele quer você, não porque tenha carência de algo, na verdade nós é que somos carentes. Alguém disse: "Deus quer estar presente em nossa vida" mas eu digo que "se Deus não estiver presente, não há vida", nós é que somos os dependentes, os necessitados, e sem Ele, miseráveis, pobres, cegos e nus (Apocalipse 3:17).

Quando oferecemos qualquer outra coisa ao SENHOR em nosso lugar, nos mantemos distantes, não nos envolvemos com Seus planos, agimos como se estivessemos preocupados, com aparência de santidade, mas ficamos longe do poder que a santidade produz, não experimentamos a boa, agradável e perfeita vontade do Pai e nos enganamos, a nós mesmos, enquanto o tempo, a força, os recursos e a vida vão passando (II Timóteo 3:05; Romanos 12:02).

Mas quando oferecemos a nós mesmos como sacrifício puro, santo e agradável ao SENHOR, oferecemos a Ele um culto inteligente e não somos mais dominados pela emoção de um coração enganoso, quando nós somos a oferta, estamos cientes de quem somos e de quem Deus é. Quando oferecemos a nós mesmos, morremos, passamos a ser eternos. Como eternos, não nos preocupamos mais com o tempo, não há rugas de procupação (Romanos 12:01; Jeremias 17:09; Mateus 6:33).

Papai tem um plano, um plano de salvação e Deus quer você como parte deste maravilhoso plano, missões.

Fogo para Missões


"E, havendo-o prendido (Pedro), o encerrou na prisão, entregando-o a quatro quaternos de soldados, para que o guardassem, querendo apresentá-lo ao povo depois da páscoa. Pedro, pois, era guardado na prisão; mas a igreja fazia contínua oração por ele a Deus."
Atos 12:04 e 05

Quando iniciamos o projeto do ministério Fogo para Missões, sentimos a necessidade de jejuar e orar por, pelo menos, um período de 40 dias. Levamos este período de oração ao conhecimento de alguns irmãos e logo chegou também ao twitter com a tag #TempodeOração, contando com a disposição de outros ministérios e irmãos orando por nossas vidas neste período.

Durante este tempo fomos levados a orar especificamente por três necessidades: direção do Paisabedoria disposição e assim, encerramos os primeiros 40 dias de jejum e oração. Porém, constrangidos, cremos que pelo Espírito, demos continuidade ao clamor, lançando então o projeto #TempodeOração, onde passamos a orar por necessidades específicas do ministério FpM, pela igreja perseguida, pelos povos não alcançados e, claro, pelo avanço da obra missionária.


INFORMAÇÃO IMPORTANTE SOBRE O JEJUM
 
pdfCalendário em PDF
Se você optar por realizar o jejum durante os períodos de 40 dias, mas não tem costume de jejuar, respeite seu limite, lembre-se que o SENHOR se agrada com a obediência e não com sacrifícios. Neste caso, propomos que você escolha um alimento de sua dieta cotidiana e faça a abstinência deste alimento, um jejum parcial. Ore pelos objetivos durante os 40 dias.

22 de setembro a 31 de outubro
Durante este período consagraremos um jejum e clamaremos, ore você também por:

Poder de Deus - Ore, busque poder de Deus para levar a verdade libertadora do evangelho não através de palavras de persuazão, mas pela autoridade do nome de Jesus;
Intimidade - Ore por comunhão com o Espírito Santo, para que possamos ouvir sem interferências seus ensimanentos, seus conselhos e direções e assim andemos intimamente ligados ao Pai;
Excelência no servir - Ore, busque por um alto padrão de qualidade em todas as suas ações, estaremos orando para que o SENHOR nos leve a oferecer o melhor para as igrejas ministradas, para os canais virtuais (twitter, blog, etc), seja no material, quanto espiritual e no amor, enfim, excelência em tudo que nos dispormos a fazer;
Igreja Perseguida - Ore por cristãos perseguidos em sua própria nação, como o caso do Pr. Yousef Nadarkhani, ore pela vida destes irmãos, para que sejam fortalecidos no SENHOR;
Povos não-Alcançados - Ore pela tradução da Bíblia, para que a palavra escrita possa alcançar povos e tribos que ainda não possuem as Escrituras em sua própria língua.
Missões - Ore para que a igreja brasileira seja despertada para o trabalho missionário, tanto para o trabalho local quanto para o envio e sustento de missionários transculturais.

1 de novembro a 10 de dezembro
Durante este período consagraremos um jejum e clamaremos, ore você também por:

Estabelecimento do Reino - Chegando ao final do ano não faremos votos, mas nos clamaremos e continuaremos buscando ser ferramentas úteis no SENHOR, para o estabelecimento do Reino de Deus na terra até que Ele venha;
Ousadia - Ore para que, quando forem abertas as portas de oportunidades, estejamos preparados e tenhamos ousadia para anunciar o evangelho com amor, paciência e doutrina;
Santidade - Buscaremos e clamaremos por santidade em nossas vidas, que haja santidade nas vidas de todos os que caminharam conosco, nossos líderes, pastores, nas igrejas ministradas, para que a importância de ser santo esteja sempre clara para nós;
Igreja Perseguida - Ore pelos governantes de países que apresentam intolerância ao evangelho, ore para que o SENHOR venha inclinar seus corações para o benefício de Seu povo;
Povos não-Alcançados - Ore para que sejam abertas portas nas barreiras culturais e que os missionários envolvidos neste chamado sejam inspirados pelo SENHOR para entrar por elas com a boa nova dos evangelho;
Missões - Ore para que haja avanço no trabalho missionário em território brasileiro, para que o governo seja imparcial e justo, para que cada igreja brasileira invista tempo, dinheiro ou recursos na obra missionária.

Fogo para Missões
Está página se encontra no site do ministério: www.fogoparamissoes.com
"Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos: Depois da glória ele me enviou às nações que vos despojaram; porque aquele que tocar em vós toca na menina do seu olho."
Zacarias 2:08

Hoje jovem me procurou para conversar sobre algumas dificuldades que tem enfrentado. Então passamos a conversar sobre a importância de servir ao SENHOR a despeito das condições, mesmo não entendendo Seus propósitos, devemos inclusive algumas vezes acreditar contra a esperança, tendo como bom exemplo pai Abraão (Romanos 4:18).

Falamos sobre tempo de provação, sobre honra, sobre ser forjado, sobre deserto, e neste ponto o SENHOR nos ensinou algo que quero compartilhar com vocês.

O deserto muitas vezes é encarado de forma errada pelo crente, que mesmo não murmurando, acaba perdendo grandes oportunidades de amadurecer em sua fé, o deserto é lugar de forja e não de tortura, o deserto é lugar de mudança ou de morte.

Não é interessante que Jesus tenha sido levado pelo Espírito Santo ao deserto, para que fosse tentado (Mateus 4:01)? Isso significa que o deserto fazia parte da vontade de Deus para o ministério de seu Filho, e como sabemos bem, a vontade do SENHOR é sempre boa, agradável e perfeita (Romanos 12:02).

Não foi fácil para Jesus aqueles dias nos quais, como homem, foi tentado, não pense que por ser Deus seus sentimentos estivessem "congelados", não, Jesus passou pelas tentações tendo que renunciá-las como homem (Lucas 4:04), com todas as sensações e angústias. Não estou dizendo que uma dor deva ser encarada friamente, mas afirmo que é um momento único para crescer mais em comunhão com Deus, e eu poderia citar aqui Josué e Calebe, os únicos que viram no deserto uma oportunidade, a resposta de uma promessa.

Jesus entrou no deserto como um desconhecido, mais um maluco se dizendo ser profeta, apenas o filho de um marceneiro e uma mulher de Belém, Jesus entrou no deserto desacreditado, para sair e mudar a história, sair como líder exemplar, como Messias, sair para salvar o mundo, inteiro. Ao entrar e sair do deserto Ele venceu o diabo, assim como ao subir na cruz e ressucitar, Ele venceu a morte.

O deserto nos prova, mas a provação não vem para mostrar para Deus quem somos, a provação é a oportunidade pela qual Papai revela para nós mesmos quem somos.

O deserto não é lugar de perda, mas de conquista, o deserto não é lugar para vergonha, mas para aprovação, o deserto não é lugar para ficar, mas para atravessar. Falar em deserto é lembrar do povo de Israel, o murmurio, os lamentos, as experiências mal aproveitadas, o levantar-se contra a liderança, o preciptar-se, o esquecer dos favores de Deus, a jornada que nunca acabou, uma geração que não saiu do deserto, e neste ponto da conversa chegamos a conclusão de que ao entrarmos no deserto passamos a ter apenas duas opções, ou saímos dele transformandos, ou não saímos! 

Muitos de nós passamos por momentos secos em nossos ministérios, momentos de muito sol na moleira e chegamos até a delirar, vendo palmeiras onda há cactos, pensamos em desistir, pensamos que a liderança morreu, que Deus nos abandonou, há aqueles que começam a forjar bezerros quando na verdade eles mesmos é que precisam ser forjados.

É preciso lembrar, assim como Josué e Calebe: "se tão somente o SENHOR se agradar de nós" (Números 14:08), e ainda como Paulo: "se não desfalecermos, a seu tempo ceifaremos" (Gálatas 6:09),  sabedores de que aquele que começou a boa obra em nossas vida, aleluia, ainda não terminou!

Fogo para Missões

"Perseverai em oração, velando nela com ação de graças; Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso; Para que o manifeste, como me convém falar. Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um."
Colossenses 4:02 a 06

Uma palavra que mudou completamente a minha visão sobre o testemunho pessoal foi essa, mais precisamente de Colossenses 4:05 "Andai com sabedoria para com os que estão fora, remindo o tempo" que em outras traduções pode se encontrar escrita de outra forma, como no caso da própria versão católica: "Procedei com sabedoria no trato com os de fora. Sabei aproveitar todas as circunstâncias".

Isso mesmo, remir o tempo é o mesmo que aproveitar ao máximo as oportunidades, e este texto bíblico é tão atual. Aqui no FpM falamos muito em missões, e esperamos fazer mais que só falar, mas você nos vê escrevendo muito sobre este tema, de fato tão importante, por isso, nesta Palavra de Segunda vamos tratar de um assunto intimamente ligado à missões, o testemunho pessoal.

O texto que selecionamos é da carta do Apóstolo Paulo aos colossenses, e neste ponto de sua missiva, ele inicia com um conselho maravilhoso, perseverem em oração, não apenas perseverem, mas perseverem orando,  orando pela vida do próprio Paulo, não para que seja liberto da prisão, mas para que Deus lhe abra a porta da palavra, isso mesmo, Paulo estava preso e preocupava-o pregar o mistério de Cristo, ele pede para que a oração seja constante, vigilante e com ações de graças.

Até aqui tudo certo, afinal estamos falando de Paulo, e não qualquer Paulo, mas do Apóstolo Paulo, considerando por muitos o "Pai da Missão Transcultural", mas as recomendações não param por aí, ele toca na ferida dos colossenses quando afirma que eles deveriam se portar com sabedoria diante daqueles que não são da fé, os de fora, isso porque a igreja de colossos vivia um certo sincretismo filosófico-religioso, ou seja, uma mistura de filosofias gregas e legalismos judaicos com misticismos orientais, havia muita confusão naqueles dias, não muito diferente do que vivemos hoje dentro e fora de muitas igrejas.

Por isso Paulo foi categórico ao escrever em poucas palavras, para que fossem sábios no agir e no aproveitar as oportunidades. Um cristão colossense poderia até se portar com sabedoria, mas para aproveitar as oportunidades ele precisaria estar preparado e isso nos leva para outro texto, de Pedro, e este texto está na I Pedro 3:15 onde se lê: "Antes, santificai ao Senhor Deus em vossos corações; e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir a razão da esperança que há em vós".

As oprtunidades são portas abertas pelo SENHOR, mas precisamos estar preparados e o preparo está no tempo que temos aproveitado com as Escrituras, Paulo nos revela esta verdade quando escreve sua orientação a Timóteo, "Medita estas coisas; ocupa-te nelas, para que o teu aproveitamento seja manifesto a todos." (I Timóteo 4:15), ou seja, a responsabilidade de estarmos preparados é nossa, e mais, a responsabilidade de aproveitar as oportunidades também.

Então amados, o testemunho pessoal (portar-se com sabedoria) implica em também estar preparado para aproveitar as oportunidades e falar do amor de Deus. O Apóstolo Paulo estava literalmente preso, em cadeias, mas continuava preocupado em não perder as oportunidades de anunciar os mistérios de Cristo, a ponto de pedir as orações dos irmãos de colossos neste sentido, mas é importante notar que o testemunho pessoal de Paulo militava juntamente com suas palavras.

Que este seja nosso desejo, o de testemunhar Jesus Cristo e estarmos prontos para, com amor, anunciarmos seus mistérios, pois como disse o Pr. Marcelo Bigardi neste último domingo: "não basta chegar ao céu, o importante é chegar lá com muita gente".

Como está seu testemunho pessoal? As suas palavras andam junto com suas ações? Como anda seu conhecimento sobre os mistérios de Cristo? Se sua resposta para estas perguntas não for, digamos, satisfatória em sua opinião, não se desespere. No livro de Tiago 1:05 encontramos outro grande conselho quando lêmos "E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e o não lança em rosto, e ser-lhe-á dada", eu mesmo tenho usado muito este conselho e orado ao SENHOR pois careço de sabedoria, ainda mais sabendo que o princípio da sabedoria é o temor do SENHOR (Provérbios 9:10).

Seja sábio, tema ao SENHOR e aproveite as oportunidades!

Marcelo Bigardi é pastor titular da Igreja Bola de Neve de Curitiba (boladenevecuritiba.com.br).

Fogo para Missões